quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A Terra da Felicidade



Há muitos e muitos anos atrás, um homem ouviu falar que existia uma cidade que era a Terra da Felicidade, onde todos eram felizes e só havia bondade. Ele, como vivia sempre tendo e causando problemas com as pessoas que convivia, resolveu um dia abandonar tudo e todos e partir em busca desta terra que, naquele momento, representava todos os seus sonhos e anseios.
.
De madrugada, sorrateiramente, preparou uma sacola com algumas roupas, colocou alguns alimentos para consumir no caminho e, olhando para sua mulher e seus filhos que estavam dormindo, desejou mentalmente que todos fossem felizes sem a sua presença, perdoando-o pela inesperada atitude. Nas pontas dos pés para não acordá-los, saiu porta fora para sua longa caminhada, que não sabia quanto tempo iria demorar.
.
Subiu e desceu montanhas durante todo o dia, atravessou riachos e caminhos pantanosos e nada de chegar ao seu desejado destino. Cansado e sem forças, resolveu sentar-se na sombra uma árvore para refazer suas energias. Porém, debilitado pelo grande esforço, terminou adormecendo, só acordando na manhã seguinte, quando alguém bateu em seu ombro, dizendo: Senhor, bom dia! Estou viajando e parece-me que estou perdido. Gostaria que, com a bondade de Deus, orientasse-me qual caminho para a Terra da Felicidade.
.
Caro senhor, eu não sei informa-lhe, entretanto estou também indo para lá e, se quiseres, poderemos seguir juntos e encontrarmos esse bendito lugar.
.
O viajante deu-se por satisfeito e seguiram os dois na longa caminhada, na esperança que dentro em breve desfrutariam os encantos da sonhada cidade.
.
Isso foi acontecendo repetidamente durante meses, sempre encontrando pelo caminho pessoas procurando chegar ao mesmo destino. E quando menos se esperava, já estava formada uma caravana imensa e eclética, onde a preocupação maior era encontrar e viver na Terra da Felicidade.
.
Quando já haviam passados anos de caminhadas nos vales e montanhas, enfrentando o sol e as chuvas, sem contar os frios das madrugadas, e nada de aparecer à maravilhosa cidade, resolveram de comum acordo, parar e fazer uma grande assembleia para discutir o que deveria ser feito, já que não chegavam ao destino desejado. Então, o primeiro homem que tinha maior experiência de vida ou pensava que tinha, sugeriu para todos os seguinte: nosso grupo hoje conta com centenas de pessoas e todos os estamos procurando o mesmo ideal. Portanto, já que não conseguimos encontrar essa difícil cidade, poderíamos acampar nesse lindo lugar e começarmos a fazer uma cidade feliz para nós, já que temos o mesmo intento. O que vocês acham?
.
Desfeita a reunião, cada um foi escolhendo onde fazer suas casas, demarcando seus terrenos e, com seis meses, já descortinava um vilarejo com características de uma pequena cidade, constituída de algumas famílias pelas uniões acontecidas durante a longa jornada.
.
Porém, com o passar dos dias, começaram a surgir alguns problemas. Um invadia o terreno do outro, alguém roubava frutas ou verduras do outro, apareceram traições matrimoniais, brigas por futilidade e, bem antes que se esperava, pequena cidade passou a ser igualzinha as outras de onde eles tinham vindo.
.
Um belo dia, aquele primeiro homem havia iniciado sozinho a caminhada em busca da Terra da Felicidade, ao acordar notou um grande silêncio. Chegando a porta observou que não havia ninguém nas ruas. Assustado, correu até a casa mais próxima e, ao entrar, viu um bilhete pregado na parede que dizia: Não era nada disso que eu queria. Estou voltando para minha cidade.
.
Correu para outras casas e outros bilhetes foi encontrando, mesmo com outras palavras, os sentidos eram os mesmos. Já cansado e bastante aflito, entrou na última casa e a mensagem era a seguinte: hoje eu sei que a felicidade está onde eu estava!
.
Sozinho, sentou e começou a refleti: é verdade, passei anos da minha vida caminhando por cominhos tortuosos procurando essa utópica e imaginária felicidade plena e, para encontra-la, bastaria que eu tivesse sido menos egoísta, compreendido melhor as pessoas, perdoasse as fraquezas humanas e não tivesse exigido tanto o que elas não tinham a capacidade para dar.
.
No dia seguinte, arrumou sua velha sacola, colocou alguns mantimentos e, olhando para aquela deserta cidade, já caminhando de volta para sua antiga casa, disse: a felicidade não está em nenhum lugar a não ser em seu próprio coração. Nunca busque fora o que está dentro de você!
.
.
[Antonio Nunes de Souza]
.
.
.

16 comentários:

Arsênico disse...

A mais pura verdade! Não adianta fugirmos... os problemas sempre nos seguirão! Precisamos mudar por dentro... assim a felicidade se refletirá externamente!

***

;-D

Sandra Botelho disse...

Com certeza querido, a felicidade está dentro de nós, Não adianta procurarmos ela por ai.
Lindo texto.
Bjos achocolatados

Serginho Tavares disse...

é como a história do pássaro azul. às vezes a felicidade está ao lado e a gente não vê!
beijo

Astrid Annabelle disse...

Lindo conto e verdadeiro.
Sempre está dentro o que insistimos em buscar fora!!!
Hugo não sei se leu, mas lhe respondi lá em casa. Qualquer coisa me envia um email.
beijos
Astrid Annabelle

Mylla Galvão disse...

SIM... A felicidade está em nós mesmos...
E tem gente q passa anos buscando-a sem se dar conta de q basta olhar para dentro de si!

bjo

Isadora disse...

Lindo! É certo que de nada adianta buscarmos a felicidade em outros lugares, pois esta mora em nós mesmo e nos cabe reconhece-la.
Um beijo

Nilce disse...

Muito bom o texto Hugo.
Não deixemos que nossa felicidade dependa dos outros e não os culpemos pela nossa infelicidade. Ser feliz só depende de nós mesmos.

Bjs no coração!

Nilce

Wanderley Elian Lima disse...

Na maioria das vezes procuramos a felicidade e vários lugares, mas esquecemos de olhar par dentro de nós mesmos, se o fizermos, vamos ver que ela está mais perto do que imaginamos.
Bjux

Everson Russo disse...

Melhor resolvermos tudo a se resolver,,,e nao fugir,,,pois tudo nos segue por onde formos...meu amigo, um belo final de semana pra ti...obrigado pelo seu carinho e amizade,,,abraços fraternos.

António Rosa disse...

CONVITE

Sei que é leitor do nosso comum amigo, Serginho Tavares do 'Justo e Digno.

Venho convidá-lo a ler a entrevista que ele me concedeu e será publicada no próximo dia 13 de Dezembro, pelas 00h01 (hora de Portugal) e duas horas antes no Brasil, às 22h01 ainda do dia 12. A entrevista realiza-se no meu blogue 'Cova do Urso'.

Um abraço e até lá.

António

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Bela parábola! A felicidade está dentro de nós mesmos, pois é feita dos nossos momentos vividos.
Beijos, Hugo!
Renata

so sad disse...

tantas pessoas cometem esse engano. procuram a felicidade em outros lugares, em outras pessoas, e só depois se dão conta que é tudo tão simples.

beijo!

RICARDO disse...

Por favor, urgente!
hoje todos os jornais estão divulgado MAIS UM ataque na região da Paulista, na Frei Caneca, um skinhead com soco inglês…
E estamos perdendo feio lá no site do Conselho Regional de Psicologia de Santa Catariana, a maioria na enquete é contra a PL 122/2006. Eu fico me perguntando do que essa gente tem medo. Quem puder, entra lá e vote “SIM”, por favor..
http://www.crpsc.org.b
Outra coisa, nem sei se gostam do Jabor nestas bandas, mas o que ele falou e como falou hoje, em nossa defesa, em “Covardes atacam homossexuais corajosos” merece emoção e aplausos. Ouçam no link abaixo:
http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/arnaldo-jabor/2010/12/10/COVARDES-ATACAM-NOS-HOMOSSEXUAIS-CORAJOSOS-A-POPRIA-MISERIA-SEXUAL.htm?utm_source=twitterfeed&utm_medium=twitter
Obrigado!
Ricardo Aguieiras
aguieiras2002@yahoo.com.br

Lucas disse...

O dia que eu namora quero ser sincero: não posso lhe fazer feliz! A felicidade está em você... eu só faço parte dela a partir de agora

Três Egos disse...

Muito bom, muitas vezes a felicidade está do nosso lado e não a enxergamos...

Beijo!

Daniel Savio disse...

É dificil ter um ideal que não se trabalha por ele, pois para mim, eles simples fugiram do que deveria fazer, torna aonde moravam o lugar feliz...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.