sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Ler Clarice é...



Ler Clarice é viver em permanente estado de paixão
.
Ler Clarice exige uma mudança de postura do leitor no modo pelo qual ele se aproxima do texto. É que o texto de Clarice pede uma escuta atenta, uma entrega de quem o lê. Clarice fala de coisas presentes no nosso dia-a-dia, o modo pelo qual reagimos aos acontecimentos mais banais, como andar na rua, olhar-se ao espelho ou conversar com um amigo. Ela nos mostra, também, outras coisas vivenciadas interiormente, aqueles momentos sem palavras dos quais só o nosso coração testemunha. Clarice escreve textos como quem vai desvelando a realidade, sondando os gestos, os olhares; tudo tão sutilmente que quando o leitor se dá conta vê-se diante de um instante mágico, especial, ao reconhecer a sua vida, a si mesmo, através daquelas palavras.
.
Ler Clarice é uma oportunidade de mudar o seu olhar diante do universo. É estar disponível para se aventurar no seu interior de forma irracional, sem censuras. Deixar-se levar pela imaginação, pela intuição e usá-las como forma de conhecimento.
.
Ao publicar A paixão segundo G.H., Clarice escreveu uma pequena nota introdutória onde pedia que este livro só fosse lido por pessoas de alma já formada. Isso mostra até que ponto pode-se absorver o que o seu texto diz. Ao ler Clarice deve-se estar disposto a aceitar o não entendimento de determinados processos da vida. Clarice dizia: “Suponho que entender não seja uma questão de inteligência, mas uma questão de sentir, de entrar em contato.” Isso faz parte do caminho aberto pelo seu texto. Cada leitor contém a sua bagagem particular de experiências, sensações, acionadas no momento da leitura; Clarice sabe disso e valoriza estas particularidades. Seu texto é um convite permanente ao "viver ultrapassa todo o entendimento" (palavras de Clarice).
.
Clarice escreveu crônicas, contos, romances, livros infantis, reportagens, páginas femininas, uma peça teatral, enfim, exercitou-se em diferentes registros de textos, mas imprimiu sua marca em todos eles: o texto interroga, faz o natural parecer sobrenatural, imprime um sentido ainda desconhecido por nós.
.
Viver essa experiência de ser leitor de Clarice é uma aventura no que ela tem de imprevisível, surpreendente, perigoso, ao mesmo tempo é um presente porque quando se está lendo Clarice você se sente especial dentro deste universo criado por ela. Especial porque você consegue se reconhecer como um ser humano cheio de limitações, sujeito às adversidades da vida, ao fracasso, às crises, mas também capaz de trilhar um caminho repleto de descobertas, de sustos, de grandes alegrias, de momentos de êxtase, vertigens, delírios.
.
Ler Clarice é a possibilidade de viver intensamente o que se é!
.
.
[Teresa Montero]
.
.

Tributo a Clarice Lispector no dia que seria seu aniversário de 90 anos.
.
Chechelnyk, 10 de dezembro de 1920 – Rio de Janeiro, 9 de dezembro de 1977
.
.

27 comentários:

Carlos Henrique Vieira disse...

Ler Clarice é ter a coragem de se jogar em um abismo desconhecido, do qual nada conhecemos. E, que só chegamos ao seu fim ao fim da última página, e de onde não emergir sem que algo tenha sido transformado. Abismo: texto, Clarice e nós mesmos.

Salve Clarice

Bj

Mila Lopes disse...

Ler Clarice é mergulhar em um mundo somente dela e descobrir o nosso!

Belo post!

Bjs

Mila

olhar disse...

Ler Clarice é para os "escolhidos"...e nós com toda a certeza...SOMOS!!!

Lindíssima homenagem!!

Parabéns à nossa eterna Clarice!

Um beijo em você, meu querido!!

Bia

Aníssima Duarte* disse...

Olá Hugo!!
Venho agradecer pela presença lá no anaconfabulando e acabo encontrando a musa mor das escritoras brasileiraas akiie!! A mulher hermética que consegue subjetivamente objetivar nossos questionamentos...Adoreei, óotima postagem!!
Um grande abraço pra vc e continue a nos presentear com postagens de bom gosto.

Cacá disse...

Olá, Hugo! Clarice para mim é uma espécie de vida intensa que se transmutou em literatura. Ela consegue se colocar e nos colocar dentro do livro de tal forma que passamos todos a nos sentir agentes intensos em vez de meros personagens (isto para quem tem uma alma já formada, segunda ela mesma). Muito boa esta resenha! Abração. paz e bem.

Wanderley Elian Lima disse...

Oi Hugo
Tudo que se falar sobre Clarice, ainda é pouco. Ela foi uma dessas pessoas iluminadas como poucas. As vezes de difícil compreensão, mas sempre magnífica.
Bjão

Nilce disse...

Foi na minha adolescência que comecei a ler Clarice, Hugo.
Encantei-me pela sua introspecção e hoje tenho quase todos os livros dela, quase como se um tesouro que leio e releio sempre.
Adoro Clarice.

Bjs no coração!

Nilce

Renato Orlandi disse...

Para mim é sempre uma experiência que me transforma ler Clarice, até mesmo quando releio, acredito que é minha preferida! Adorei o texto! Abraçooo!! ^^

EDER RIBEIRO disse...

Com certeza, a Clarice deveria ter um destaque maior no cenário cultural, mas infelizmente isso não acontece e portanto é pouco conhecida da maioria. Abçs.

Serginho Tavares disse...

ler Clarice é saber que nunca compreenderemos nós mesmos!

SAM disse...

Hugo,

o texto de Tereza Montero é lindo e ler Clarice é avistar e ultrapassar as fronteiras mais sutis e luminosas. Parabéns pela bela homenagem

Beijos com carinho.

Franck disse...

Eterna Clarice! Justa homenagem!
Abçs*

Lou Albergaria disse...

Clarice é uma dádiva!

Ler Clarice é mesmo muito perigoso e fascinante ao mesmo tempo, mas é preciso estar preparado para olhar pra dentro de si mesmo sem anteparos...requer coragem e amadurecimento de alma, sem dúvida...

Lindo Moço,

que belo post!

VIVA CLARICE!

Beijos!

Destacaria também Lya Luft que disseca a alma humana de uma forma alucinante. Fico estarrecida às vezes...E Lygia Fagundes Telles, nossa, acachapante!

Tenha um lindo final de semana!

LadySiri disse...

Linda homenagem, belíssimo testo.
Ótimo blog. Adorei.
Beijos.

Pena disse...

Notável Amigo:
Simplesmente sublime:
"...Clarice escreve textos como quem vai desvelando a realidade, sondando os gestos, os olhares; tudo tão sutilmente que quando o leitor se dá conta vê-se diante de um instante mágico, especial, ao reconhecer a sua vida, a si mesmo, através daquelas palavras..."

Um sentir a vida ao pormenor. Minúcia de encanto.
Parabéns sinceros.
Clarisse é de imensa beleza e talento.
Adorei.
Abraço amigo de respeito.
Sempre a admirá-lo pelo talento e criatividade fantásticas e perfeitas.

pena

Bem-Haja, pela genialidade que existe latente em si e no que é.
Fabuloso.

Afrodite disse...

Lindo tributo!
Ficou maravilhoso!
Beijo
Afrodite

gabriela marques. disse...

Toda vez que leio Clarice tem de ser no sucego da madrugada, caso ao contrário não sinto a real mensagem que ela quer me passar.

Imenso beijo
Obrigada pela sua visita.

Everson Russo disse...

Clarice é sim uma delicia de leitura...abraços de bom sabado pra ti amigo.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Ler Clarice muda a nossa compreensão das coisas e do mundo.
Bela postagem!
Beijos, Hugo.
Renata

Paulo Braccini disse...

vivas e mais vivas a Clarice ...

bom fds querido Hugo

bjux

;-)

Cocada.g disse...

Ola! primeira vez aqui!

Nunca li profundamente Clarice, mas o pouco que tive contato com ela confesso que não gostei muito. Mas por motivo pessoal mesmo. Clarice até hoje conquista muito leitores jovens e acredito que deva ser algo bom. Só que pra mim não funciona assim!

Abraços amigo!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

É de uma de mnhas preferidas também,amigo. Gostei das definições sobre ela. Um abração

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Clarice é a vossa grande referencia, entre outros, claro ...!

Abraço

Bandys disse...

Um belo texto com uma linda homenagem.


Minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite.
Clarice Lispector

Ler Clarice é um melhugo dentro da gente.

Beijos Hugo

Daniel Savio disse...

Achei lindo a parte de a ler apenas leitores de alma feita...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.

Anônimo disse...

Hugo, que alegria ver que estamos em sintonia. Todos os comentários sobre Clarice convergem para um mesmo ponto. Que bom que a Clarice está nas nossas vidas1 um beijo
Teresa Montero

Regina´s adventures disse...

Ler Clarice é, sem dúvida, desvendar um mistério. Um, não, dois. Porque, a esta altura Teresa Montero, que escreve sobre Clarice, cria para nós um segundo mistério em Clarice: A busca do interior clariceano. Ah, que grande mistério!