terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Brasil fica entre piores países na educação




Apesar de registrar melhora na educação, o Brasil segue entre os piores colocados em ranking internacional de ensino, divulgado nesta terça-feira (7). O país ficou com a 53ª colocação entre 65 países no Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa), elaborado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
.
Feito com estudantes nascidos em 1993 matriculados em qualquer série a partir da 7ª série (8º ano) do ensino fundamental, o ranking é divulgado a cada três anos. Em 2009, avaliou 470 mil estudantes. Desse total, 20 mil eram brasileiros.
.
O Pisa avalia conhecimentos de leitura, matemática e ciências dos adolescentes. O Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), é quem aplica a prova no Brasil.
.
Com a média geral de 401 pontos, o Brasil ficou atrás de países como Bulgária, Romênia e os latino-americanos México, Chile e Uruguai. Fica à frente apenas da Colômbia, Kazaquistão, Argentina, Tunísia, Azerbaijão, Indonésia, Albânia, Catar, Panamá, Peru e Quirguistão.
.
O país ficou bem abaixo da média da OCDE, de 496 pontos. Os cinco melhores colocados são China (Xangai), com 577 pontos, Hong Kong, com 546, Finlândia e Cingapura, com 543, e Coréia do Sul, com 541.
.
A disparidade entre as dependências administrativas do país é grande. Estudantes de escolas federais tiveram as melhores médias, 528 pontos, que colocaria o Brasil entre os oito países melhor colocados. A nota das escolas particulares é de 502 pontos, entre os 20 melhores países. Já as públicas estaduais e municipais têm média comparada a dos sete piores países, 387 pontos.
.
O Pisa avalia conhecimentos e habilidades que capacitam os alunos para uma participação efetiva na sociedade. A avaliação em leitura busca saber qual é a compreensão, o uso e a reflexão dos estudantes sobre textos escritos para alcançar objetivos. Já na matemática a intenção é medir a capacidade de atender suas necessidades no mundo para, por exemplo, expressar ideias bem fundamentadas.
.


.
Quando vejo o resultados desses índices educacionais, sempre lembro das palavras do Professor Vitor Paro (1998):
.

“A má qualidade do ensino público atual expressa, por um lado, a falta de escolas de verdade, com condições adequadas de funcionamento; por outro, a ausência, em nosso sistema de ensino, de uma filosofia de educação comprometida explicitamente com uma formação do homem histórico que, ultrapassando os propósitos da mera sobrevivência, se articule com o objetivo de viver bem, realizando um ensino que capacite o educando tanto a usufruir da herança cultural acumulada quanto a contribuir na construção da realidade social.”



Foto: disponível em http://www.uni-vos.com

13 comentários:

Olavo disse...

jamais seremos um pais de verdade sem educação..
Abraços

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
Que pena!!!
Mas tenho esperança de que melhore o quadro que nos apresentou.
Abraços fraternos e bjs de paz.

Wendy disse...

Educação é a base do país.. mas parece q nunca vai melhorar de verdade no Brasil.

Tanta gente também que não dá valor aos educadores, só contribui para a falta de qualidade .

bjo!

Flor ♥ disse...

Meu querido amigo,

esta é uma situação tão triste... e o pior é que não vemos vontade política que torne a mudança possível!

Bjs.

Lis disse...

Tão bom que nossos governantes comecem a pensar com mais seriedade na Educação, é tão urgente e necessário.
Obrigada pelas nformaçoes.
Deixo um abraço com carinho Hugo

Afrodite disse...

Concordo com o Olavo,sem educação jamais sermos um paí de verdade...
Beijo!

Paulo Braccini disse...

Isto é uma vergonha ... por estas e outras é q somos obrigados e conviver com a barbárie ...

bjão querido

bom feriado

;-)

Everson Russo disse...

Muito triste isso meu amigo,,,educação é a base de tudo na vida...abraços e um belo dia pra ti.

Sônia disse...

Que vergonha, não??
O Brasil ainda está engatinhando...


Bom dia Hugo!

Nilce disse...

O conhecimento evita que o ser humano seja manipulado. E quem é que quer manipular o povo?
É uma vergonha Hugo, mas essa é a nossa realidade. O governo coloca todos na Escola e cria os analfabetos funcionais que é o que lhes interessa.

Bjs no coração!

Nilce

Adriano Berger disse...

Excelente postagem, Hugo, parabéns!

Minha opinião você já sabe, abordamos o mesmo tema em nossos blogs. Conforme bem demonstrado aqui com as notas das escolas federais, o país sabe sim o caminho das pedras para uma boa educação. O que falta é querer fazer bem feito em todas as escolas do país e destinar recursos para isso. Todos nós queremos, mas quem não quer, e por que não quer?!

Grande abraço! Obrigado pela visita!

Adriano Berger
nanoberger.blogspot.com

Lívia Azzi disse...

Os dados comprovam a heterogenidade da qualidade da educação em nosso país:

- Estudantes de escolas federais tiveram as melhores médias, 528 pontos... [a maioria desses professores são mestres, tem bons planos de carreira e dedicam em regime de exclusividade na escola em que atuam, pois recebem bem para lecionar!]

- A nota das escolas particulares é de 502 pontos.

- Já as públicas estaduais e municipais têm média comparada a dos sete piores países, 387 pontos.

Como e quando é que se pode falar em democracia com estes dados?

Temos que ampliar nosso olhar e valorizar as escolas públicas Estaduais e Municipais, e os profissionais que neles atuam!

Um grande abraço!

Daniel Savio disse...

Infelizmente, acabamos prezando número de aprovados, não números de alunos que saibam realmente...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.