quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Eu por Clarice Lispector



Eu, corpo neutro de barata, eu com uma vida que finalmente não me escapa pois enfim a vejo fora de mim - eu sou a barata, sou minha perna, sou meus cabelos, sou o trecho de luz mais branca no reboco da parede - sou cada pedaço infernal de mim - a vida em mim é tão insistente que se me partirem, como a uma lagartixa, os pedaços continuarão estremecendo e se mexendo. Sou o silêncio gravado numa parede, e a borboleta mais antiga esvoaça e me defronta: a mesma de sempre. De nascer até morrer é o que eu me chamo de humana, e nunca propriamente morrerei.
.
.

[Clarice Lispector]

.
.

.

33 comentários:

Saulo Taveira disse...

Sim, Clarice é vida.
VIVA!!!

lis disse...

Eterna Lispector
Suas palavras nao morreram , continuam vivas.
mais um lindo poema Hugo

EU SOU NEGUINHA disse...

Vim deixar um beijo pra ti
Nega

Lúcia Soares disse...

Clarice é densa, dramática, dizem que era atormentada, melancólica.
Mas escreve como poucos.
E acertou, é mesmo imortal.
beijo!

Nilce disse...

Oi, Hugo

Adoro a introspecção da Clarice.
Vivencio com tanto realismo tudo o que ela escreve que neste livro senti até o gosto da barata.

Bjs no coração!

Nilce

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Hugo.
Adoro os textos de Clarice, as vezes ela vai fundo em nossa alma.
Bjux

Deia disse...

Oi Hugo! Clarice escrevia suas inconsistências e incongruências de uma forma encantadora! Um beijo, Deia

Daniel Savio disse...

Cara, colecionamos sentimentos, mesmo não querendo, mas que não deixemos nos levar apenas pelo os nossos piores dias...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.

Paulo Braccini disse...

"a vida em mim é tão insistente que se me partirem, como a uma lagartixa, os pedaços continuarão estremecendo e se mexendo... Sou a mesma de sempre... De nascer até morrer é o que eu me chamo de humana, e nunca propriamente morrerei."

sem comentários ... #perfeito ... FATO

bjux

;-)

Roberto Ney disse...

adoro clarice...

Ah! Tem postagem nova no Ó Com Copo... http://ocomcopo.blogspot.com/
Até logo mais...

Ana Maria disse...

Palavras bem fortes de Clarice.
Ela é bem verdadeira.
Parabéns amiguinho pela escolha da postagem.
Beijinhossss!!!

Bandys disse...

Oi Hugo,

Adoro Clarice.

Deixo um beijo pra ti.

Felina Mulher disse...

Quando leio esta mulher, sinto orgulho de ter nascido Mulher.


Beijos meu querido.

Adriano disse...

Clarice deixou sua marca na cultura brasileira. E não é para menos... suas palavras têm vida.

Grande abraço!
Adriano Berger

Lou Albergaria disse...

Nunca mesmo...

Beijo, Moço!

Que belo post!

Clarice sempre arrepia...

Lou Albergaria disse...

Que bom resolveu aparecer no LOBA. Depois vá conhecer meus outros espaços: Semente de Amora e vago(O)risco.

Gosto muito daqui.

Você é muito especial na composição de seus post's!

BEIJÃO!

Cacá disse...

Oi, Hugo! Coincidentemente estava mexendo nuns escritos guardados e me deparei com isso (dela mesma):

"Sou composta por urgências: minhas alegrias são intensas; minhas tristezas, absolutas. Me entupo de ausências, me esvazio de excessos. Eu não caibo no estreito, eu só vivo nos extremos."
Clarice Lispector


Não é demais? Abração. paz e bem.

Flor de Lótus disse...

Oi,HSLO!Eu confesso que estou aprendendo a gostar de Clarice, li a hora da estrela e não goste,mas de tanto o povo falar bem dela, vou acabar lendo outro livro dela e claro agora 10 anos depois talvez eu consiga entender um pouco melhor ela,mas com certeza ela em textos lindos ocmo esse trecho que tu escolheu.
Beijosss

olhar disse...

Uauuuu...sente-se até o coração batendo...

bárbaro!

beijos em você, Hugo!!

Bia

Majoli disse...

Oi Hugo, você, como sempre nos encantando com suas escolhas maravilhosas.
Clarice Lispector é demais, amo, amo.
Beijos meu querido amigo.

Sandra Botelho disse...

E somos o que somos e Clarice nos define tão bem...
bjos achocolatados

Vivian disse...

...gostoso ver Clarice enfeitando
tua casa sempre linda!

bj, querido!

Beth/Lilás disse...

Olá, Hugo!
Estou gostando de ler os textos que tem trazido para nós em seu pedaço.
Este da Lispector é um dos que me chamam a atenção sempre quando leio.
Apesar de seu sofrimento em vida, demonstrava nas entrelinhas seu profundo amor pela vida e continuar inserida nela.
umbeijo carioca

Mahria disse...

Ser defrontada por uma borboleta, aí já é demais...


Bjs
Mah

Machado de Carlos disse...

Amigo Hugo,

Então você não deixou de ser bailarino. Em suas veias inda correm o sangue da dança. Isso é importante, pois você viu sua cultura melhorada, apesar da condição financeira, mesmo porque; além da condição financeira você precisaria da mídia e também dos patrocinadores, que hoje em dia estão voltados para os eventos de grande soma.
Mesmo assim você saiu vencedor, pois adquiriu cultura musical, que importante para cada um de nós.
E hoje como pedagogo, dá para você assimilar melhor os comportamentos humanos ainda em formação.
Sucesso para você!
Fique bem,
Um Grande Abraço!

Graça disse...

Clarice é múltipla, e isso nos fascina!!!

Hugo, obrigada pela sempre doce presença em meu blog, meu querido!

Vim convidá-lo a dar uma olhada em uma homenagem feita ao nosso saudoso Hod, pelo amigo Rodolfo, em forma de Elegia... ficou simplesmente linda!

Se aprouver a vc, veja-a aqui:

http://seteramos.blogspot.com/

Um beijo, e parabéns pela qualidade excelente de suas postagens.

Mauri Boffil disse...

Viva Lispector!

Renato Orlandi disse...

Adoro Clarice, mesmo sem coragem de ler por inteiro, gosto muito, esse trecho diz muitas verdades, até sobre mim... Não que isso seja bom! []s

Drigo disse...

Clarice Vive
e vc Revive!!!
bjitos...

Lívia Azzi disse...

O que é precisa para saber viver?Para se conhecer? O que é preciso para se transferir?!

Ler a brilhante, magnífica e introspectiva Clarice, perder-se em suas intensas palavras e reconstruir-se em suas reflexivas entrelinhas.

Um beijo!

Pérola Anjos disse...

Clarice: esplendorosa, magnífica, gloriosa. Viva!

Beijos!

Enrique Coimbra disse...

Olha, até ler teus textos eu nunca tive minha atenção para Clarice. Mas, de verdade, estou ficando super interessado. "Sou o silêncio gravado numa parede, e a borboleta mais antiga esvoaça e me defronta: a mesma de sempre."

G I L B E R T O disse...

Clarice é encantamento em doses maciças!