quinta-feira, 3 de junho de 2010

P a c t o


.
Daquele que amo
quero o nome,
a fome
e a memória
Quero o agora
O dentro e o fora,
O passado e o futuro
Quero tudo: o que falta
e o que sobra
o óbvio e o absurdo
.

[Maria Esther Maciel]

.

11 comentários:

Sandra Botelho disse...

Qando amamos o tudo ainda é pouco.
Bjos achocolatados

Caio Lima disse...

Éhhh...
MAs da mesma forma que vc exige isso tudo da sua pessoa amada..Pode ter certeza que ela exigirá td isso de vc também. Os dois lados tem que ceder um pouco.

E é ai que o bicho pega

abraço Hugo
;)

Marcos Campos disse...

E é isso mesmo quando a gente ama! Possessivo? Qual amor carnal não é?
Abraço Hugo!

Wanderley Elian Lima disse...

Muito bom Hugo, não conhecia.
Abração

Serginho Tavares disse...

eu também quero tudo desse que eu amo

Rosan disse...

Hugo.
penso que todos nós queremos sempre TUDO de quem amamos,
tudo tudo e mais um pouco ainda.

beijo

Solange Maia disse...

esse querer inteiro é tudo.... é o que nos move, o que nos enche...

adorei Hugo !!!

e a imagem é linda...

beijos grandes

Lídia Borges disse...

Uma delícia. Tanto dito em tão pouco!

L.B.

.•*♥*•.¸¸.• Sanzinha •.¸¸.•*♥*•. disse...

É lindo, mas tem mais cara de necessidade urgente do que de pacto.

Beijos e ótima semana, Hugo!

Valdeir Almeida disse...

É isso mesmo. Quando não estamos amando, dizemos que não queremos um amor possessivo, mas quando surge a pessoa ideal, nós é que queremos tomar posse dela.

Abraços, Hugo.

Graça Pereira disse...

Lindo este poema! Pode parecer absurdo, possessivo...mas o amor não é isso mesmo??
Beijo
Graça