quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Monólogo de Orfeu


Mulher mais adorada! Agora que não estás, deixa que rompa o meu peito em soluços! Te enrustiste. Em minha vida; e cada hora que passa. É mais por que te amar, a hora derrama o seu óleo de amor, em mim, amada...E sabes de uma coisa? Cada vez que o sofrimento vem, essa saudade de estar perto, se longe, ou estar mais perto. Se perto, – que é que eu sei!

 

Essa agonia de viver fraco, o peito extravasado. O mel correndo; essa incapacidade de me sentir mais eu, Orfeu; tudo isso que é bem capaz de confundir o espírito de um homem – nada disso tem importância quando tu chegas com essa charla antiga. Esse contentamento, essa harmonia.Esse corpo! E me dizes essas coisas que me dão essa força, essa coragem. Esse orgulho de rei.

Ah, minha Eurídice. Meu verso, meu silêncio, minha música! Nunca fujas de mim! Sem ti sou nada. Sou coisa sem razão, jogada, sou pedra rolada. Orfeu menos Eurídice...Coisa incompreensível! A existência sem ti é como olhar para um relógio só com o ponteiro dos minutos. Tu és a hora, és o que dá sentido e direção ao tempo, minha amiga mais querida! Qual mãe, qual pai, qual nada! A beleza da vida és tu, amada. Milhões amada!

Ah! Criatura! Quem poderia pensar que Orfeu: Orfeu cujo violão é a vida da cidade. E cuja fala, como o vento à flor despetala as mulheres - que ele, Orfeu ficasse assim rendido aos teus encantos! Mulata, pele escura, dente branco. Vai teu caminho que eu vou te seguindo no pensamento e aqui me deixo rente quando voltares, pela lua cheia para os braços sem fim do teu amigo! Vai tua vida, pássaro contente. Vai tua vida que estarei contigo!
.
[Vinicius de Moraes / Antonio Carlos Jobim]
.

__________________________________
.
A imagem é uma pintura de Orfeu chorando a morte de Eurídice, encontrada no Blog O Século Prodigioso
.
Esse texto é narrado por Maria Bethânia, no dvd Tempo, Tempo, Tempo/2005.


video

29 comentários:

Evelyne Freitas disse...

Vinicius só já é uma coisa... com Jobim é um tapa!
Muito bom. voltarei!

Bjoo

(Carlos Soares) disse...

Rapaz.De arrepiar, sinceramente.Li e reli. Um abraço e parabéns pelo bom gosto e antena ligada.

Everson Russo disse...

Simplesmente belissimo, é meio que tudo que a gente procura nessa vida de amor, muito gostoso o Orfeu menos Euridice coisa incompreensivel...é meio que nossa vida menos o amor, tambem nao dá...adoro sua sensibilidade em posts...parabens, forte e fraterno abraço e tenha um belo dia...

Alma inquieta disse...

HUGO,

TU ÉS UMA PÉROLA!
LINDO, É UM HINO À MULHER!
MAS A TUA SENSIBILIDADE EMOCIONA-ME!

PARABÉNS!

UM BEIJO.

Gilson disse...

Oi Hugo

Estive sumido devido a problemas técnicos no meu Blog. Voltei e posso crer que o teu Blog está bom como sempre. É muito bom rever o cantinho do meu amigo.

Abraços

Maria Dias disse...

Bacana isso hein?Bem vindo de vc não poderia esperar menos!Adorei ler Orfeu!

Beijos

Maria

Fabiano Mayrink disse...

Ola Hugo seja bem vindo ao Luar Encantado, sua presente é muito importante, um enorme abraço, um luar de alegrias para voce!

Dauri Batisti disse...

Bela postagem meu amigo. Bela.

Seu blog é muito simpático.

Abraço.

Ps.: obrigado pelas visitas ao ESSAPALAVRA.

Moni disse...

tinha q ser lindo... tbm só feras!!! bjks

Sofih disse...

Muito bonito o texto...
"Orfeu menos Eurídice...Coisa incompreensível!"
É só trocar os nomes que conta qualquer história de amor.
Beijos

David Marinho disse...

Muito bom mesmo. Esse vinicius :P

Graça Pereira disse...

Será que ainda existe assim amores igual ao de Orfeu e Euridice? Ainda se morre de amor? Ainda se veste a capa da tristeza pela perda do amado/a? Vejo o amor tão banalizado...O que é hoje, amanhã já não é.. Ou será que estou a ser pessimista? Um bj Graça

Luis Fabiano disse...

Oi, Hugo, obrigadão pela visita. Estou lhe seguindo também. Feliz por ter curtido o meu blog, é um cantinho sem muitos recursos visuais, mas sempre que posso atualizo com novidades, vc será sempre muito bem-recebido, lá. Abração!

Luis Fabiano disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Wanderley Elian Lima disse...

Texto e música belíssimos. Mais uma vez o bom gosto predomina.
Beijos

Mari Amorim disse...

Vim juntar me a vc para aplaudir esta festa,do blog curiosa e encontrei esse post maravilhoso,Parabéns
Boas energias
bjus
Mari

Roberto disse...

Muito bacana! esses dois são lembrados por talento nato!

Cadinho RoCo disse...

O que dizer de tão primorosa composição?
Cadinho RoCo

Vieira Calado disse...

Agora estou num bar...

com música muito alta...

Não dá para ouvir o Molólogo.

Quando chegar a casa.... vai...


Um abração

Fatima disse...

Eu tinha um namorado que me chamava de Eurídice, quando eu comecei a chamá-lo de Orfeu ele terminou o namoro. Será por que?
Misteriooooooo!
bjs.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Não tenho nada a dizer:maravilhoso!!!

Escolha perfeita!!!

Um beijo carinhoso!

Sonia Regina.

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Não tenho nada a dizer:maravilhoso!!!

Escolha perfeita!!!

Um beijo carinhoso!

Sonia Regina.

Sandra disse...

BOM DIA PARA VOCÊ!

QUE ESTE DIA SEJA MUITO LINDO.
VAMOS ABRIR OS PRESENTES DA CURIOSA.
PASSE LÁ NO BLOG: UMA INTERAÇÃO
http://sandrarandrade7.blogspot.com/
Será uma grande alegria, abir aos poucos os presentes recebidos.
Vamos nessa!!!

Com muito Carinho
Sandra

Everson Russo disse...

Uma maravilhoso final de semana pra ti querido amigo...forte abrço.

Valdeir Almeida disse...

Perfeito, Hugo,

O texto de Vinícius, a imagem e a música de Bethânia: combinação perfeita.

Abraços e ótimo final de semana.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, Hugo!
Lindo texto de Vinicius! E, que direi de Jobim? Nada! Pois não é preciso, está implícito. Quanta coisa a Antigüidade nos legou! O mito de Orfeu é muito bonito e rico. Tão apaixonado por Eurídice, atravessou o Aqueronte, rio dos Infernos, tocando a harpa, em busca da amada, mas teve um fim muito triste... Orfeu do Carnaval, Orfeu.
É bom visitá-lo, amigo, pois vc revive através dos nossos, que já se foram ou não, e que são eternos, os que já se perderam no tempo, mas são igualmente eternos. Por falar em recordações, hoje acordei cedo. Muito cedo, e a primeira coisa de que me lembrei é que Hoje é 11 de setembro. Morei em Nova Iorque e a revisitei em janeiro de 2002. Escrevi um parágrafo que pus em anexo à resenha do filme Ratatouille, sonho parisiense... (quantos antagonismos!). Procure em algum Blog algo sobre esta data marcada na História e publique ainda hoje até a meia-noite, aqui, no seu Blog tão diversificado.
Beijos e ótima sexta para vc!
Renata Maria

Sasha Portrait disse...

absurdamente belo, ótimo mesmo. =]

obrigada pela visita no meu blog, vejo que o seu é ainda mais lindo ^^

Saandra disse...

Texto maravilhoso esse!
São mistérios do amor...misterios de sentimentos profundo sentimentos esses que levam a morte...

Melhor ainda na vóz de Bethânia...
bjs*
continue assim postando em seu blog textos profundos como esse que só mesmo com a lógica para entendêlos...

Daniel Savio disse...

Orfeu é um dos antigos nomes do Deus do sono...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.