sábado, 18 de outubro de 2008

O Campari



Originário da Itália, é reconhecido mundialmente por seu exclusivo sabor amargo e pela cor vermelho vivo. Pode ser servido on the rocks ou misturado a Tônica, suco de laranja e uma infinidade de outros ingredientes que produzem um sem número de coquetéis por todo o mundo. CAMPARI é a escolha perfeita para quem gosta de sabores originais. Um verdadeiro clássico contemporâneo.

História

A história de CAMPARI teve origem quando, ainda jovem, Gaspare Campari viajou a Turim para aprender a preparar licores e outras bebidas finas. Trabalhou como garçom e barman e aproveitava as horas livres para experimentar novas receitas. Em 1860, de volta a Milão, sua terra natal, inaugurou a Fabrica di Campari Gaspare Liquorista, que produzia o elixir Lunga-Vita, o Olio di Rhum e o licor Soprafino Rosa. Mas a bebida CAMPARI só apareceu quando Gaspare abriu o Caffè Campari, localizado na Galeria Vittorio Emmanuele, defronte a catedral de Milão, no ano de 1867. Nessa época, todos os donos de bares e restaurantes preparavam suas próprias bebidas, para serem servidas a clientela. Gaspare queria um resultado muito maior, do que simplesmente servir uma bebida ou coquetel. Ele queria ser lembrado de uma forma especial. Por isso começava cedo a produzir suas infusões e néctares, pensando sempre em agradar seus clientes e ser diferente. Foi assim que seu “Bitter allíuso di Hollanda”, uma bebida de cor vermelho brilhante e sabor doce amargo, era servido de entrada como cortesia. Ele se referia ao coquetel como amargo da Holanda. Mas de holandês não tinha nada. Era apenas um charme de Gaspare, já que as bebidas holandesas estavam na moda. Mas os clientes sempre pediam “o bitter de Campari".

A fórmula

CAMPARI é um bitter alcoólico, feito com água destilada, açúcar e mais 50 ingredientes (folhas, caules, raízes, frutos e flores), numa receita guardada em segredo absoluto. É produzido através da infusão de álcool e água destilada, misturada à ervas, plantas e frutas. Após a combinação dos componentes, CAMPARI é envelhecido por trinta dias e depois é filtrado, para criar um efeito cristalino. O segredo de seu sucesso é a imutável receita original, que leva cerca de sessenta ingredientes oriundos dos quatro continentes.

A cor vermelha

A cor vermelha, batizada pela marca de Red Passion, é entendida como um modo de viver, de pensar, uma expressão artística, uma experiência e um ideal. A sensualidade cosmopolita da Red Passion vinda de CAMPARI está presente em toda a comunicação da marca: propagandas, calendário, eventos, coquetéis e na Internet. Afinal, onde há CAMPARI há paixão e onde há paixão há o desejo de se fazer mais, ser mais e expressar mais.


A marca no mundo

O Gruppo Campari, sétimo maior produtor de bebida do planeta, vende o famoso CAMPARI, uma das bebidas mais célebres do mundo, em 190 países ao redor do mundo, ocupando posições de destaque nos mercados italiano e brasileiro, e uma presença forte no Estados Unidos, França, Alemanha e Suíça. Anualmente são vendidas 2.9 milhões de caixas de 9 litros da bebida. O Brasil representa hoje aproximadamente 7% do faturamento global do grupo, vendendo mais de 500 mil caixas de CAMPARI por ano.


Os dados

● Origem: Itália
● Fundação: 1860
● Fundador: Gaspare Campari
● Sede mundial: Milão, Itália
● Proprietário da marca: Gruppo Campari
● Capital aberto: Sim
● CEO: Bob Kunze-Concewitz
● CFO: Paolo Marchesini
● Faturamento: € 957.5 milhões (2007)
● Lucro: € 125.2 milhões (2007)
● Valor de mercado: € 1.5 bilhões (2008)
● Fábricas: 12
● Presença global: 190 países
● Presença no Brasil: Sim
● Maiores mercados: Itália, Brasil e França
● Funcionários: 1.600
● Segmento: Bebidas alcoólicas
● Principais produtos: Bitter
● Ícones: Sua cor vermelha e o sabor amargo
● Slogan: Só ele é assim.
*Por____HSLO
*Amo demais CAMPARI

5 comentários:

Serginho Tavares disse...

eu gosto de campari
é alcool né? to dentro
hahahahaha

T disse...

campari é muito gostoso, mas somente com água tônica! HAHAHA
mto legal a história toda! muito diferente aqui! adorei. Bjs gato

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Post interessatíssimo, Hugo. Eu ignora quase tudo, menos o gosto do Campari. Gostei muito.
Amigo:
Venho dizer-lhe que tenho um novo Blog chamado "Resenhas antigas", onde postei agora as resenhas de maio (Across the universe, Blade Runner, Asas do Desejo e a sinopse de Cidade dos Anjos). Eu as tinha retirado do Galeria porque ia fechá-lo. Não o fechei e a única solução para postar as resenhas de maio a setembro foi fazer um novo Blog.
Um beijo,
Renata Cordeiro

anderson eduardo disse...

Não sei se é bom... mas a historia é interessante.... boa semana, se beber nao dirija

Robson disse...

Tai nunca tomei um campari, a cor é linda, ebora já me disseram que o gosto não é dos melhores...
Obrigadissimo pela visita e comentário, e aqui tem coisas muito boas.
Grande abraço e ótima semana!