domingo, 26 de junho de 2011

Agi sempre para dentro... Nunca toquei na vida...



Agi sempre para dentro... Nunca toquei na vida... Sempre que esboçava um gesto, acabava-o em sonho, heroicamente... Uma espada pesa mais que a ideia de uma espada... Comandei grandes exércitos — venci grandes batalhas, gozei grandes derrotas — tudo dentro de mim...
.
Gostava de passear sozinho pelas alamedas e pelos grandes corredores e de comandar as árvores e desafiar os retratos das paredes... No grande corredor sombrio que há ao fundo do palácio passeei com a minha noiva muitas vezes... Eu nunca tive noiva real... Nunca soube como se amava... Apenas soube como se sonhava amar... Se eu gostava de usar anéis de dama nos meus dedos é que às vezes queria julgar que as minhas mãos eram de princesa e que eu era, pelo menos no gesto das minhas mãos, aquela que eu amava...
.
Um dia foram-me encontrar vestido de rainha... Eu estava sonhando que eu era a minha esposa régia... Gostava de ver a minha face reflectida porque podia sonhar que era a face de outra criatura — porque era de formas femininas, que era de minha amada que era a minha face reflectida... Quantas vezes a minha boca, tocou na minha boca nesse espelho!... Quantas vezes apertei uma das mãos com a outra, quantas adorei meus cabelos com a minha mão alheada para que parecesse dela ao tocar-me. Não sou eu que te estou dizendo isto... É o resto de mim que está falando.
.
.
 
Fonte: Livro do Desassossego. Vol.I. Fernando Pessoa. (Organização e fixação de inéditos de Teresa Sobral Cunha.) Coimbra: Presença, 1990. - 76.
.

12 comentários:

Solange Maia disse...

Hugo...

se eu pudesse corria aí e te dava o maior abraço da tua vida...

como entendo essas palavras, como entendo ser "para dentro"...

escolha divina...

você é.
e ponto final.

beijo gigante

Maria Dias disse...

...Isso é demais e divino e, eu me vejo um pouco no desassossego de Pessoa.

Beijos e boa semana

Maria

Vivian disse...

...tenho uma intimidade
gostosa com esta fala
de Pessoa.

adoro ser para dentro!

Hugo meu lindinho,
adoro teus posts!

bjokas, coração!

Flor de Lótus disse...

Oi,Hugo!O que dizer de Pessoa?
Td já foi dito ele era um gênio e só...
Beijosss

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Hugo
Fernando Pessoa surpreende nesse texto. Um dualidade , que vive à base de sonhos e delírios. Amei.
Bjux

jair machado rodrigues disse...

Querido Hugo, sempre de uma sensibilidade tocante teus post... o que dizer de Fernando Pessoa, amo o nome LIVRO DO DESASSOSSEGO, amo a obra de Pessoa; com ele aprendi que sendo muitos, sou eu mesmo, e mesmo sendo muitos sou verdadeiro.
Gostei demais deste post.
ps. Um imenso abraço.

Diogo Didier disse...

Fiquei sem saber o q dizer!!! SÉRIO! vou digerir esse texto e depois farei um novo cometário...bjoxxxxxxx amigo! saudades...

Cacá - José Cláudio disse...

Esse livro é meu companheiro de estradas, Hugo. E a escolha sua é ótima, significativa. Abraços. Paz e bem.

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Caro amigo

Há palavras
tão inundadas
de verdades,
que parecem
conversar
conosco...

Vida plena em teus dias.

Dil Santos disse...

Oi Hugo, tudo bem?
Menino, eu tbm adoro Fernando Pessoa, Acabei de ler Vozes da Saudade, é um livro lindo, fantástico, que recomendo a todos.
Ai menino, brigado por ter votado viu? rs
Abraços

Ryan Zamperlini disse...

Realmente muito lindo... sem sombra de dúvidas.

Vinicius.C disse...

Olá Hugo!

Nossa eu- por incrível que pareça não conhecia esse texto. Adorei!!

Espero que vc tenha uma ótima noite!
Deixo o meu abraço- espero por vc no Alma!