segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Vida de Armário


De todas as consequências da vida no armário, nada é tão devastador quanto a necessidade de mentir. Fingir ser o que não se é, aprender a educar gestos e olhares, mentir para amigos, criar histórias, esconder sentimentos, anseios e dúvidas. Vestir sempre, a cada dia, uma máscara de algo que não se é e nem se sente.
.
Para alguns a vida no armário é a única alternativa de sobrevivência. Sabem, no mais íntimo, que quebrar aquela porta, significa romper com todos as amarras que o deixam seguro: serão excluídos da família, perderão emprego, amigos. E então eles aprendem a fingir. Aprendem a rir das piadas homofóbicas, a esconder os olhares de interesse, negar a atração por aquele amigo da sua irmã, conter-se, mesmo bêbado, para não "dar pinta". Aprendem a ter sempre uma história de reserva, para justificar sua presença naquele lugar de pegação. Aprendem a virar o rosto na rua, ao encontrar aquela transa da última noite. Se lembram de não estar tão perto dos outros para que ninguém perceba a verdade.
.
Mentem tanto e tão frequentemente que um dia se percebem presas daquela história que criaram. Automatizam gestos, risos, olhares e toques. Vivem num estado permanente de tensão. E não conseguem estabelecer vínculos duradouros nem de amizade nem de amor, por que onde nasce a mentira não se cria laços. Eles podem até amar, mas sempre fica a dúvida se são amados pelo que são ou pelo que dizem ser.
.
Não é fácil sair do armário. Nem é um movimento que se possa fazer pelo outro. E não acontece de uma hora para outra, apenas pelo desejo. Atitudes internalizadas, anos de negação, o medo da reação das pessoas e as próprias inseguranças não desaparecem só por que se disse "sou gay". Não se dorme no armário, agindo como hétero e fingindo 24h por dia e se acorda sem medo de andar de mãos dadas ou beijar em público. As armaduras usadas não vão desaparecer como mágica.
.
Eu não acredito que existam fórmulas. E não acho que alguém tenha o direito de dizer quando, como ou para quem você precisa dizer que é gay. O que eu sei é que o armário tem consequências devastadoras. Ninguém consegue ser feliz de VERDADE, vivendo uma MENTIRA eterna. As consequências dessa escolha, só você pode decidir se está disposto a pagar.
.
"A vida no armário destrói a pessoa. Você aprende a mentir como uma segunda natureza. O seu primeiro movimento é mentir. Para você, para sua família, para os amigos, para o chefe no trabalho, para a namorada. E uma hora você mentiu tanto, que já nem sabe onde está a verdade. Você já não pensa para tomar algumas atitudes, mas elas estão tão internalizadas que você faz sem perceber. E se magoa e magoa aos outros. Num ciclo sem fim de dor".
.
.
Texto escrito por Lilah Bianchi e publicado no blog Mãe, sou gay! 
.
Para quem não conhece o blog Mãe, sou gay!, clique aqui e confira a história em construção de uma mãe hétero e um filho gay.
.
.

42 comentários:

Aníssima Duarte* disse...

Ahh, eu jamais me encaixaria nesta vida de armário. E conheço muita gente amiga e boa, que se escondeu no armário da vida durante um tempo, sem coragem, por culpa ou medo, mas, logo se encorajou, vestiu-se da paz da aceitação e se jogou para ser na vida. Isso sim é coragem, isso é viver. É triste não se abrir para o mundo por medo...Tantos de nós sofremos por escondermos coisas...Tantos de nós escondemos podridão e não temos vergonha. Ser quem é, por orientação sexual ou vontades, jamais será vergonhoso. Deus que Deus, nos conhece e nos aceita como somos, disto tenho certeza!Um ótimo texto. Abraço.Visite-me ;)

Beth/Lilás disse...

Pois a mim, caro amigo, não me interessa se alguém é hetero ou homo, apenas se é um ser humano do bem e para o bem.
No seu caso, vejo nas entrelinhas que és um amor de pessoa, portanto, não esquente com nada, siga em frente e tenha uma linda semaninha!
beijinhos cariocas

Beth/Lilás disse...

Ahhhhhhh, esqueci de dizer que, realmente, eu vivo citando Rubem Alves porque eu o adoro e meu sonho é conhecê-lo um dia pessoalmente.
Ele é vivo e tem 70 e poucos anos.
bjs

Diogo Didier disse...

Brilhante!

É um labirinto obscuro onde dificilmente quem entra encontra uma saída. Conheço pessoas q pessam por esse dilema e não pretendem nem tão cedo solucioná-lo.

Elas têm os temores narrados acima e, por isso, não se arriscam a perder a es(ins)tabilidade q construiram.

Escelente texto! Obrigado por compartilhar conosco.

Bjoxxxxxxxxxxxx e boa semana!

Pena disse...

Estimado Amigo Genial:
Realmente, a vida "no armário" não leva, nem conduz, a nada. É a solidão A exclusão. A falsidade. A constante mentira contada como sendo autêncica e verdadeira.
Registei da beleza imensa do seu texto:
"...Mentem tanto e tão frequentemente que um dia se percebem presas daquela história que criaram. Automatizam gestos, risos, olhares e toques. Vivem num estado permanente de tensão. E não conseguem estabelecer vínculos duradouros nem de amizade nem de amor, por que onde nasce a mentira não se cria laços. Eles podem até amar, mas sempre fica a dúvida se são amados pelo que são ou pelo que dizem ser...."

Perfeito.
Excluí qualquer tipo de relacionamento.
Parabéns. É fantástico. Uma belíssima abordagem a este tipo de desencanto existencial.
Adorei.
Abraço forte de amizade e estima perante o enorme e gigantesco sentir seu.
Sempre a respeitá-lo e a admirá-lo

pena

MUITO OBRIGADO pela simpática visita que gostei muito.
Honra-me a sua preciosa e sincera amizade.
Bem-Haja, talentoso amigo.
Tudo o escreve é sublime de interesse.
Parabéns renovados.

EDER RIBEIRO disse...

A convivência entre iguais é fácil, mas basta um diferenciar, seja na opção sexual ou não, para começar os conflitos. A aceitação de todos como eles são é um princípio cristão que deveria ser praticado, afinal se somos criatura de Deus, Ele nos fez diferente justamente para isso, aceitando e aprendendo com o outro. Abçs.

Everson Russo disse...

Pior dessa mentira é a pessoa não poer viver feliz como é,,,ser aceito como é,,,abraços de boa semana pra ti amigo.

My disse...

É triste...
Mas algumas pessoas simplismente se conformam com essa situação...
Bjs*

feiticeira disse...

Muito bom o texto Hugo, parabéns, viver no armário é sufocante e um dia, em prol da felicidade a pessoa vai ter que dizer chega e acabar de vez com as mentiras que a devastam, enfrentar o apontar de dedo dos outros? Toda a gente acha que sabe viver a nossa vida melhor que nós mesmos, toda a gente sabe sempre o que devemos fazer, mas somos nós o comandante da nossa vida e devemos vive la em consonância com o nosso eu.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Hugo
Excelente texto. Retrata a verdade nua e crua, daqueles que precisam viver se escondendo, de tudo e de todos. É solidão pura.
Bjux

orvalho do ceu disse...

Olá, Hugo
Comparo a uma vida vivida em cima do muro... sem grande possibilidade de transparência...
Em 2011 saindo do armário!!!
Abraços fraternos e de paz.

Evanir disse...

Estou no seu blog pela primeira vez.
E ja seguindo você jamais li um texto tão comovente.
Tenho na familia um primo que amava muito só eu sabia da opção sexual dele .
E viveu a vida dentro do armario
isso a aguns anos.
Com o passar do tempo depois de ter dormido em banco de praça se tornou um famoso cabeleiro em SP.
Foi com muita tristeza quando fiquei sabendo que estava doente.
Com um salão luxuoso montado carro do ano veio falecer com tudo guardado dentro do armario com ele mesmo.
Creio que muitos ainda não aprendeu nada na vida .
A forma de vida pertençe a cada um de nós escolher.
Um dia lindo para você beijos,Evanir
http://aviagem1.blogspot.com/

ღPat.ღ disse...

Hugo,

Não existe nada mais horrível do que viver uma infelicidade. As pessoas que não conseguem ser o que de fato são, jamais serão felizes... elas criam uma falsa felicidade que acaba quando se deitam em suas camas, vazios(ias)!

Amei o texto é bom demais para reflectir.

Obrigada pelo carinho nas palavras, e Iara já faz o clássico. ;)

Beijos meu amigo bailarino lindo.. tua foto do perfil está gatíssimo!!!

Lucas disse...

Ninguém consegue viver preso em si mesmo, guardar seus desejos, seus quereres, ate porque que vida é essa de mentira? melhor por a cara a tapa,ser o que se é e fazer o que se quer a vida é curta, 80 anos em média e que tempo nos resta para perder?

belo texto

olhar disse...

Huguinho,

me pego aqui quietinha após te ler...e penso:

Como podem os seres humanos pensarem que são mais ou menos do que outros seres, por sua opção sexual??COMO??

Somos todos IDÊNTICOS e o que vale nesta vida é o AMOR.E ponto final...

Tenho muitos amigos gays e os adoro, e se voc~e quer saber??Gosto bem mais deles do que meus amigos heteros!

Ontem por exemplo, passei um domingo divertidíssimo, à beira da piscina com três amigos gays!!Foi um dia ímpar!batemos papos, demos risdas à beça, choramos, foi tudo de bom!

beijos em você, meu querido!

Biazinha

Vinicius.C disse...

Uma vida de armário...
onde ser, é incompreensão.
Não me encaixaria em caixas tão pequenas. Expressar, agarrar o sol mesmo que queime as minhas mãos é assim que eu quero a vida- a minha vida!

Livre de tudo que possa sufocar, que possa sugerir.
Livre desta necessidade continua de interpretar, eu quero a minha vida em cacos...(risos)

Perfeito seu espaço meu amigo!

Venha conhecer o meu blog, "Alma do Poeta"

Espero que goste!

Mila Lopes disse...

Este armário é trancado por dentro, ninguém pode abrir a não ser quem está la dentro...todo ato tem suas consequencias, abrir a porta é mais um...Que a vontade de ser feliz seja a coragem, seja o combustível para se ganahr asas...

Bjs

Mila

Gabriela Marques. disse...

Difícil é sair do armário, mas depois que quebramos a tal barreira, ninguém mais nos coloca novamente nele!

A verdade é que ditamos o que é certo o tempo inteiro, para nós, para os outros, para o mundo em geral. Mas não é certo fazermos a nossa escolha uma opinião global.
Tenho um amigo de infância que 'saiu do armário' recentemente, este, fiquei até feliz em saber, pois ele nunca negou. Nunca negou em gestos, nunca negou na fala, nunda negou na forma de agir, pensar, tratar as pessoas.
O que me decepciona, de verdade, é ver aqueles que jamais esperamos saindo do armário depois de um longo tempo.
Então vemos o quanto a pessoa era obmissa e não lutava por ser verdadeiros ideais! Se sou, sou e pronto. Mas a sociedade é tão seletiva, que os Gays são reprimidos.
Sou de uma família extramente preconceituosa, principalmente em relação à sexualidade, cresci nesse círculo, e nem por isso mantenho minha mente fechada ao assunto. Mas confesso que sofro de influências: Sou contra. Mas sou contra, por esse tipo de coisa fazê-los sofrer. Gostaria de verdade é que não houvesse esse tipo de sexualidade, poderíamos ser todos iguais, ou então apenas, aceitarmos mais fácil aqueles que são, e que não são.

Ficaria triste se meu filho fosse Gay, mas não deixaria de amá-lo por isso. A gente nunca põe no mundo um filho e espera que ele siga a vida da forma que qeremos. Crescemos, criamos asas e fazemos nossas escolhas.


Beijo grande, Hugo.
Adorei ler sobre o tema. Me faz cada dia refletir.

Paula Barros disse...

Muito bom o texto. Conheço o blog e até indiquei a uma amiga, que descobriu que a filha é homo. E uma dia ela me disse...tão linda, tão inteligente..como se não fosse mais.

abraço

Diego Morais disse...

Bem interessante o texto.

Realmente tem muita gente que sabe fingir, enganar, ser o que não é.

E tem gente tão talentosa, como uma atriz profissional das melhores. Vai ver que nem ela mesma sabe quem ela é.

Diego Morais disse...

Muito interessante o texto.

Realmente tem muita gente que sabe fingir.

Parece até um desses atores dos bons.

Valeu pelo comentário.

Adriano Berger disse...

Excelente texto, Hugo! Em linhas curtas, a essência da felicidade está na transparência e na verdade. A aceitação do EU é que muitas vezes pode manter alguém dentro de um armário por mais tempo do que o possível para que a vida seja desfrutada plenamente.

E aquele velho paradigma de se vestir com o que a sociedade veste, pensar o que a sociedade pensa e ser o que a sociedade é está consumindo com a vida e a individualidade de muitos, fazendo do seu armário o único porto seguro para a sobrevivência...

Grande abraço!
Adriano

Pérola disse...

Fantástico!!!
Vc arrasa com suas escolhas meu querido.
Maravilhooooooooooooooooooooooooso.
Oh!!! Como eu tenha raiva da mentira se vc soubesse,quantos ármarios nós ñ temos por aí,se eu tivesse a chave eu abriria todos.
Os gays são tuuuudo de bom.
Beijokas mil amado.

Lúcia Soares disse...

Hugo, gente é gente, não importa se homo ou hetero.
Eu não saberia viver uma vida dupla.
Claro que não deve ser fácil assumir,mas temos tão pouco tempo para ser feliz que é o melhor caminho.
Mas também fico pensando: assumir pra quem? Pra gente mesmo ou para a sociedade? Às vezes o maior preconceito é da própria pessoa, ela mesmo se "condenando".
Beijo!

Fatima disse...

Excelente escolha Hugo!
Bjs.

Daíse disse...

Obrigada pelo recadinho lá no blog!!!
Volte sempre!
Bjos!

Professora Carla Fernanda disse...

Boa noite! Cada um sabe o que decide de sua vida. Temos um universo de pessoas que resolvem assim viver esta dissonância cognitiva, o que, acaba desequilibrando o ser humano por inteiro.
Carla Fernanda

Andy disse...

Texto muito interessante!
Gostei do novo visual do blog :-)

Beijinho Hugo!

railer disse...

muito legal o texto.

na próxima semana está agendada uma postagem minha sobre o filme 'orações para bobby'. fala um pouco disso do armário. recomendo que você leia pra conhecer e assista ao filme depois.

♪ Sil disse...

Hugo, saudadeeeeeeee suas tbm.
ô meu lindo, vc me é tão querido.
E já tô flutuando aqui ouvindo a DIVA Bethânia. ahhh...

Hugo, o texto é belo, e de uma verdade estonteante.
Infelizmente vivemos num mundo:
- HIPÓCRITA, MESQUINHO, PODRE, INDIVIDUALISTA, ASQUEROSO E DE DAR PENA, qdo se trata na relação com as pessoas.
Se tem uma coisa que tenho verdadeiro ASCO, é de preconceito.
Gay, heteros, bi, seja lá o que for, são pessoas. GENTE. Seres humanos. Não entendo o porque de tanto preconceito em se tratar disso.
Meus melhores amigos, que considero como irmãos, são Gays.
Eu os amo, e brigo ferozmente por eles.
Sei que não é fácil sair do armário, num mundo nojento como o nosso, onde a minoria se importa com "opções".
ÔÔ gente pobre e pequena, por Deus.
Esses meus amigos, enfrentaram os maiores problemas dentro de suas próprias familias.
Mas apesar de tudo, são felizes, partiram em busca da felicidade, e isso que importa.
Caetano Canta: "Qquer maneira de amor vale a pena, qquer maneira de amor valerá".
Peço a Deus, e torço para que um dia, todas as pessoas possam viver da forma que quiserem, sem serem vistos como diferentes pela opção sexual.
Meu amigo, vai se casar em março, com um outro amigo meu, e eu?
Vou ser a madrinha desse amor tão lindooooo.
Ser feliz é o que importa, mais nada.
Qto a essas pessoas preconceituosas e pobres de alma, eu canto Cazuza:
Vamos pedir piedade, senhor piedade.

Um abraço Hugo!

Você é LUZ, que ilumina sempre meu blog.
Um beijooooooo!

tossan® disse...

Sim sem mentiras, cada um deve seguir com a sua verdade que pode chocar e trazer sofrimento no início, mas depois é só amor.
A minha verdade é outra, ando preguiçoso e gosto de fotografar com a minha amada. Preciso trabalar para não morrer de tédio. Abraço

Lis disse...

OI Hugo
esconder nao é solução , que vida pode ser vivida se for baseado em mentiras?
gostei muito do texto , sem máscaras, perfeito.
que todos possam ser felizes de forma digna e haverá respeito e aceitação.
parabéns pela partilha.
abraços

Artes da Marga disse...

Olá Hugo!
Amei seu texto e seu blog. Penso que realmente o armário tem consequências devastadoras, porque a pessoa tem que agir de forma diferente, mudar de vida superficialmente, só para não ser julgado, ou discriminado por um modo de viver. Pior de tudo são algumas ou muitas pessoas mentirem, esconderem sua própria opinião. Dizem aos 4 cantos que gostam e não discriminam gays, negros, pobres, etc. Mas sabemos que não é bem assim. Aí são elas que ficam num outro tipo de armário por puro preconceito só pelo prazer de querer mostrar a sociedade que apoiam as campanhas e que todos são seres humanos que merecem respeito e dignidade. Esse preconceito melhorou um pouco, mas está longe e muito longe de acabar. Diria que é impossível. Lamentável.
Beijocas

Kyria disse...

Oi Hugo, obrigada por você estar no meu blog.
E estar no armário não se refere somente ao homossexualismo mas aquelas pessoas que não são o que aparentam, aquelas que encontramos a todos os instantes em todos os lugares. Aquelas que so passam imagens atras de seus "oculos escuros" uma que não sustentam o olhar.O que mais me desconcerta é que de modo geral estamos cercados de dissumulações.
Aí é preciso que a percepção e intuição funcionem para que percebamos quem está ao lado muitas vezes usando da boa fé do amigo/companheiro/colega.
Bjs meus

Everson Russo disse...

Uma otima terça pra ti amigo,,,abraços.

Vivian disse...

...o segredo dos fortes,
e sair das mentiras e enfrentar
a sociedade hipócrita em que
todos vivemos por comodismos.

de qqr forma seremos julgados.

que seja então pela nossa
coragem...

bj, lindo!

Naty e Carlos disse...

"Há momentos na vida em que nos deveríamos calar... e deixar que o silêncio falasse ao coração; Pois há sentimentos que a linguagem não expressa... e há emoções que as palavras não sabem traduzir..
Bjs com carinho

Arsênico disse...

Belíssimo texto! Felizmente ou não eu saí do armário... e como de se esperar as consequências vieram!

O importante é que pelo menos hoje... não preciso mais mentir! Apesar das amarras... sou um homem gay livre!

***

BayjÖs!

;-D

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Hugamigo

Na Minha Travessa há livros e outros prémios no novo PASSATEMPO/CONCURSO. Podes ganhar, vencendo, hahahaha, tal como aconteceu à nossa Afrodite.

Aos 69 anos, ganhando a vida a rabiscar palavras - sou jornalista e, ao que dizem... escritor. Desta margem do oceano que nos separa e nos une, parabéns pelo desassombro do que escreveste sobre o armário.

Abs

Marcos Campos disse...

Perfeito o texto, a mentira destroi mesmo tudo o que a gente ama. Por pior que possa parecer, as pessoas que amam a gente de verdade, mas de verdade mesmo, vão entender...

Duda Martinez disse...

Hugo, não sou gay. Mas se assim o fosse, não conseguiria viver dentro de armário nenhum, não. Me dispo de qualquer preconceito e digo mais: tenho vários amigos gays que me respeitam por ser hetero. Então, porque, cargas d'água, não os respeitariam????
Beijos, meu gay baiano e gostoso!!

Daniel Savio disse...

Realmente, exige bastante coragem da pessoa para se assumir perante a aqueles que o amam (pois ai que o amor é realmente provado)...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.