quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Ministério da Educação prepara cartilha sobre homofobia



O ministro da Educação, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira (13) que foi elaborada uma cartilha para orientar os alunos das escolas públicas sobre o preconceito e a aversão a homossexuais, a homofobia.
.
Segundo o ministro, por ser “delicado”, o tema será tratado com critério. O material já foi elaborado e ainda passará pela avaliação de um comitê de especialistas.
.
“O MEC tem sido muito criterioso. As obras que são mandadas para as escolas são clássicas ou passam por uma avaliação. O assunto é delicado, se não fosse, não precisaria ser trabalhado nas escolas. Vamos fazer isso da maneira mais respeitosa com a sociedade”, disse o ministro.
.
Haddad informou ainda que na fase de aprovação o material será discutido. “Não é uma questão de tomar partido, mas de cumprir uma obrigação constitucional de informar sobre um direito assegurado”, disse.
.
A necessidade de discutir homofobia nas escolas foi identificada pelo MEC, diante da constatação de que o assunto incita ódio, a violência e a exclusão, e pode até estimular a evasão escolar. Desde 2004, funciona no MEC a Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, responsável também por tratar assuntos como a homofobia.
.
Fonte: g1.globo.com
.

18 comentários:

Cora disse...

Não é que o MEC esta atrasado no mínimo uns 10 anos??!!!!!!
Que coisa tratar um assunto tão atual como: "delicado"...hum, já passou da hora de dizer, de conversar, é por ser tão "atrasado" que hoje temos que lidar com tantos homofóbicos!!
Aliás que palavra não??
Gay que não gosta de alguns héteros é o que??Heterofóbico!!rs.
Rir para não chorar!!

Abordou um bom tema!
bj.

garoto cientista disse...

Nossa, ja era hora, tudo bem que eu não serei beneficiado diretamente mais, bons tempos de escola não voltam mais, mas sei que haverá toda uma geração beneficiada, com a chance de fazer diferente. Abraços.

Paulo Braccini disse...

muito digna a proposta, mas vai requerer mãos firmes do ministro ... já tem Deputados imbecis se posicionando contra ...

bjux

;-)

"(H²K) - Hamilton H. Kubo" disse...

Uma ótima postagem, uma ótima idéia.
Acredito sim que quando se bem sabe, não se julga de forma exacerbada.

Abraços

Lúu Almeida disse...

Bela atitude, mas acharia melhor que fosse entregue nas casas, nos lares. É onde tudo começa, é de onde vem a primeira educação.

Flores!

Felipe Faverani disse...

Oi, Hugo, tudo bem?
Estou passando aqui para agradecer o seu comentário no meu blog e o elogio sobre os meus textos, e também para dizer que estarei o seguindo igualmente. Seu blog prega a igualdade, o respeito e expõe isso também através da Literatura, o que é fantástico. Parabéns pelo seu trabalho, de verdade. Ele está imensamente bonito.
Abraço.

Cacá - José Cláudio disse...

É importante que os pais e a família bem como a população em geral também recebam e discutam em cima desta cartilha. Afinal, educação é um conjunto sistêmico e em casa é onde tudo começa. Meu receio é que se o tema não for discutido abrangentemente, possa ser desvirtuado, como aconteceu recentmente com a classificação pelo próprio MEC das obras de Monteiro Lobato, por exemplo. Abraços, Hugo. Paz e bem.

Mylla Galvão disse...

É esse material deveria ter sido feito há uns 20 anos já. Mas nunca é tarde para colocar o plano em prática. Mas não considero o assunto "delicado". Prá mim é um assunto como qq outro, pq convivo com ele há mtos anos"
Sabe?
Pessoas assim sabem viver a vida intensamente!
O problema é que a nossa sociedade é MACHISTA DEMAIS para aceitar um assunto desses!

bjo

Everson Russo disse...

Tudo é valido meu amigo, mas é horrivel que em pleno seculo 21 ainda tenhamos tais preconceitos,,,abraços fraternos de bom final de semana pra ti.

BATE PAPO GAY TEL 4003-2807 disse...

Gostei do blog.

Quer ser nosso parceiro de link ?

Visite:

http://www.batepapogay.com.br


ou

gaylera05@gaylera.net

Ricardo

Franck disse...

Antes tarde do nunca,não é o que dizem?
Abçs*

José María Souza Costa disse...

O MEC, taxa de "delicado", uma temática que desgraçadamente já deveria ter discutido a minimamente uns 30 anos atras.
Parabens pela postagem, em boa hora

rouxinol de Bernardim disse...

A educação começa no lar, na escola, no meio ambiente.
É bom começar no sítio certo...

Diogo Didier disse...

Que boa noticia!

Fico feliz com a proposta da cartilha pois acredito na força da educação como propursora de novos conceitos, divisora de águas e transformadora de destinos.

Temos que lutar contra esse preconceito infundado contra os homossexuais e o lugar mais propicio para isso é a escola. Lá é o primeiro local onde nós construimos as nossas primeiras bases sociais e essas estruturas devem ser mais sólidas, de forma que cada individuo que faz parte dela, comece a encarar a vida de forma mais iversificada!

Bjoxxxxxxxxxxxxxxxxxx no coração!

Xanele disse...

AINDA HÁ MUITO PRECONCEITO

Bjsss Querido

Luigi disse...

Legal saber que alguma medida vai ser tomada, as pessoas não têm noção do grau de agressão psicológica a qual os homossexuais estão expostos nas escolas.

Adriano Berger disse...

Hugo, excelente discussão, parabéns por esse post! Acredito que o homossexualismo ainda é visto de forma pejorativa e promíscua sob o ponto de vista da sociedade. É aí que reside o problema do preconceito. Mas pudera... o que você vê com mais intensidade nas avenidas durante as paradas do orgulho gay? Eu vejo uma promoção exacerbada da libertinagem, e não uma expressão do sentimento e do amor. Acho, sinceramente, que aquele tipo de manifestação destrói qualquer tentativa de busca por respeito, esteriotipando o homossexual e criando uma idéia distorcida sobre a sua realidade.

Concordo sim que o assunto é delicado, pois envolve valores pessoais muito enraizados e convicções religiosas num grande número de famílias. E esses valores também precisam ser respeitados.

Deve-se ensinar a respeitar o homossexual, assim como o protestante e o católico se respeitam. Apesar das diferentes convicções, mesmo que um não concorde com a doutrina do outro, o respeito não pode faltar entre ambos e isso deve ser estimulado.

E concordo que o tema deve ser tratado com grande sabedoria, conforme comentário de alguns, primeiro nas casas, e depois nas escolas. Assim os pais podem ficar tranquilos de que respeitar o homossexual não é estimular seu filho a tornar-se um também (esse é o medo deles), mas apenas que ele conviva com quem quer que seja sem distinção. Inclusive com seu próprio filho (a) quando a verdade lhe for aberta...

Grande abraço!
Adriano Berger

Daniel Savio disse...

Rapaz, isto me lembra um pouco quando a Globo foco algum assunto, tipo, um aluna aidetica, ou uma relação homosexual, ou uma doença grave como cancer...

Mas toda a educação dada aos nosso jovens vai render fruto, pois eles teram o nosso papel amanhã =P

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.