terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dia Mundial de Luta Contra Aids


Desde 1981, quando começaram os surtos de duas doenças raras entre jovens homossexuais masculinos nos EUA, e mais tarde em 1984, quando descobriram que tais surtos se tratavam do HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), uma doença que destrói o sistema imunológico do indivíduo, o Mundo nunca mais foi o mesmo. As doenças raras se tratavam da pneumocisti carinii, uma forma de pneumonia, e um câncer, o sarcoma de Kaposi que normalmente infectavam homens mais velhos, ambas as doenças eram desenvolvidas por conta da infecção ao HIV. Em 1985, cientistas conseguiram desenvolvem um teste para diagnosticar a infecção pelo HIV.


Quando criança, fiquei vulnerável ao vírus por conta de uma transfusão de sangue que fui submetido, foi em 1983, no "boom" da infeção. Naquela época pouco se falava da nova doença, a sociedade médica pouco sabia das sua causas e conseqüências, tudo era obscuro, incerto. Messes depois, o governo solicitou que as pessoas que foram submetidas à transfusão de sangue realizassem os exames de detecção ao HIV, para a minha sorte, o meu deu negativo e não fiquei entre as primeiras vitimas de HIV no Brasil, vitimas que tiveram suas vidas ceifadas. Mas a apreensão da sociedade não cessou com a descoberta do exame, pois mesmo depois de 85, muitas pessoas continuaram sendo infectadas por intermédio da transfusão de sangue.


Uma amiga da minha mãe, evangélica, e que provavelmente só teve um homem em toda a sua vida, foi vítima do HIV. Em sua segunda maternidade, ela necessitou fazer uma transfusão. Algum tempo se passou, e ela começou a perder peso rapidamente, ela até ficou feliz, pois precisava emagrecer, mas começou a se preocupar quando começou a ficar muito abaixo do seu peso. Ela procurou um médico, e foi diagnosticado que ela tinha HIV. Tempos depois ela faleceu, o caixão foi lacrado. Ela deixou três filhos e o marido. Dos quatro, apenas o filho mais velho não estava contaminado com o vírus. O marido foi para Minas, o escândalo foi muito grande e a convivência deles na sociedade tornou-se impossível. Imaginem: Nos anos 80 as pessoas imaginavam que HIV se pegava com o toque.


Com o avanço da medicina, houve uma melhoria na sobrevida das pessoas que vivem com a AIDS. Estima-se que há 630 mil infectados no Brasil e que 230 mil pessoas não sabem da infecção. Em 1980 existiam 15 homens para cada mulher infectada, hoje essa estimativa está em 15 homens para 10 mulheres, esse fenômeno pode ser explicado pela maior independência da mulher em relação ao homem, a conquista ao mercado de trabalho e a luta do movimento feminista para a liberdade sexual.


Tenho amigos que convivem com o HIV. Apesar de todos os avanços da medicina, sabemos que o coquetel de medicamentos é uma tortura para os que têm que conviver o mesmo. Espero ver um dia a cura da AIDS, mas, antes disso, espero ver uma sociedade consciente, uma sociedade que não troca a sua integridade física por alguns momentos de prazer sem camisinha num sexo casual. Espero que o dia de hoje seja de reflexão, e que a sociedade consiga evoluir na grande luta contra a AIDS.



P.S. Amigos leitores essa postagem é de autoria do meu amigo Marcos Freitas que assina o blog Passageiro do Mundo. Sempre público alguns texto de sua autoria aqui em Nosso-Cotidiano. Marcos parabéns pela iniciativa e criatividade. Te gosto.

19 comentários:

Lú Silva disse...

Perfeito post!!!
Vamos divulgar!!!!

Bjos querido

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Olá, amigo!
Ótima postagem!
Vulneráveis somos porque doamos
Infelizmente, nem todos se salvam
Beijos, Hugo
Bom Dia,
Renata

Juliano disse...

Nem preciso mais te elogiar né Hugo, por essas suas iniciativas.
Um assunto tão comum, mas com um tabu e preconceito tão grande.

Abraços.

Vivian disse...

...olá lindeza!

belíssima postagem sobre
um tema sempre mais que
atual, posto que a sexualidade
é mola mestra dos prazeres
da carne.

sexo não é pecado.
pecados são os excessos
que se comete por conta
dele.

e como todo excesso, é claro
que trás sérias consequências.

quanto a se adquirir o vírus
por transfusão de sangue,
a isso chamamos de fatalidade.

que Deus nos proteja a todos.

bj, querido!

Emerson Souza disse...

Oie,
Parabéns pela iniciativa de utilizar teu espaço como agente multiplicador da consciência coletiva.
Abs.

Marcelo Mayer disse...

todo dia é dia disso

.Lis disse...

Muito bem lembrado e um bom texto.
Lembro bem dos primeiros casos de vítimas da AIDS e o choque das pessoas porque sabia-se uma doença fatal e avassaladora. Hoje a situação é vista com outros olhos , sabe-se muito mais respeito e a cura é uma esperança quase pálpavel.Ficamos na torcida da responsbilidade e reflexão de todos .
meus abraços

(Carlos Soares) disse...

Amigo,Hugo.Primeiro fiquei apreensivo quando fui lendo seu texto e ddepois aliviado que não contraiu.Graças a Deus. lembro bem quando a aids surgiu e se hoje ela está assim, é porque a sociedade na época tratou e pensou que a era doença so de gays e negros e assim não deram bola.Aí de repente começaram a morrer ricos, celebridades,grandes artistas. Com o tempo virou geral. Hoje o número de mulheres já supera o dos homens. Um abraço

Wanderley Elian Lima disse...

Parabéns Marcos pelo texto e parabéns Hugo por publicá-lo
Beijos

paula barros disse...

Tantos anos depois e ainda temos o preconceito. As pessoas na grande maioria não usam camisinha. E as políticas de saúde não conseguem manter um tratamento adequado e continuado. Sempre falta medicamento, assistência, leitos nos hospitais.

E cresce assustadoramente os casos de Aids no país.

Muito boa a sua iniciativa e a de Marcos.

abraços

Judite (Dite) disse...

Oi amigo!
A minha mensagem é: Hoje são os outros que precisam de nós, amanhã seremos nós.
Beijo,
Judite

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Infelizmente a AIDS, caminha pelo mundo, e somente o cuidado, a responsabilidade com a vida, o afeto, o carinho, a cumplicidade podem minimizar os seus efeitos.

Esta semana publiquei em meu blog
www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com
um texto que fala sobre disciplina.


Se tiver um tempinho passa por lá e deixa tuas impressões.

Semana de sonhos para ti.

Sentimental ♥ disse...

Não ao preconceito e SIM à vida.
bjs

BEL disse...

Bom dia

Um tema muito sério e que necessita sempre ser lembrado, para que não caia no esquecimento

beijos


bel

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá! Dei uma passadinha por aqui,

só para ver como você estava

e te desejar um

ÓTIMO DIA!!!



Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

Bom Dia!!!

beijooo.

Pelos caminhos da vida. disse...

Olá! Dei uma passadinha por aqui,

só para ver como você estava

e te desejar um

ÓTIMO DIA!!!



Lembre-se, hoje é um dia muito especial,

Melhor que ontem e muito melhor que amanhã,

Hoje você têm a oportunidade de fazer as coisas diferentes.

Bom Dia!!!

beijooo.

ludmilla disse...

Deu uma aula querido ..hsshus.
muito bom o post adoreiii,,,
bjokasss

Daniel Savio disse...

Hua, kkk, ha, ha, você meio que falou na primeira pessoa, ai já estava pensando que era contigo...

Já vi alguns posts do pessoal do assunto, mas é uma doença bem ruim, pois atualmente, quem não sabe como ela realmente se propaga e meio de evitar esta propagação?

Excluindo crianças pequenas, só isto...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.

railer disse...

também falei deste dia e até usei a mesma foto que você. é bom poder falar de aids e hiv sem preconceito. os tempos estão mudando.