segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Poema do Menino Jesus


Num meio-dia de fim de primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
mas era outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.
Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém
soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente
humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.
Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.
A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as coisas.
Aponta-me todas as cores que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.
Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Vivemos juntos e dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.
Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo um universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.
Depois eu conto-lhe histórias
das coisas só dos homens
E ele sorri, porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios.
Depois ele adormece e eu deito-o.
Levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo-o lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.
Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate as palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.
Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar.
.
[Alberto Caeiro]
.
P.S. Esse poema é do Alberto Caeiro outro heterônimo de Fernando Pessoa.
P.S. O poema foi adaptado por Maria Bethânia no Cd Rosa dos Ventos - 1971 e Maricotinha Ao vivo - 2002. Abaixo segue o vídeo com interpretação de Bethânia.
.

27 comentários:

HSLO disse...

Créditos da Imagem:

http://br.olhares.com/


Abraços e beijos em todos.

Pena disse...

Admirável e Talentoso Poeta Amigo:
Um poema de fascinar. Lindo. Pleno. Intenso Saído do seu precioso sentir humano fabuloso.
Feito por mãos de ouro puro.
Divinal.
Parabéns sinceros.
Escreve, maravilhosamente.
Abraço forte de amizade perante o seu significado sublime do seu Ser enorme.
Adorei.
Com amabilidade, respeito e amizade...

pena

Fiquei boquiaberto com tanta magia enorme e perfeita.
Bem-Haja, precioso amigo de bem!

Majoli disse...

Em êxtase ao ver o vídeo, ao ver tão emocionante interpretação dessa musa da MPB, Maria Bethânia.
Com certeza isso veio no meu amanhecer pra tornar meu dia mais lindo.

Seus posts sempre ímpar.

Beijos Hugo.
Uma semana de muita paz meu querido.

Cris Animal disse...

Oi Hugo!

Voltando do sítio e matando saudade dos amigos!

Que texto lindo. Aconchega a alma, faz acreditar, serenizar. Texto de paz, de acolhimento. Bom ler isso.

Ei, amei a foto do cachorro...lindoooooooooooooo!


Beijo grande

Paulo [ALT] disse...

me lembrou por alguma razão de Miguilim do Guimarães Rosa, mas sabia que me recordava de algum lugar... Fernando Pessoa. tenho o livro de poemas completos pela nome do Caeiro e às vezes dou uma olhada.
ps. sempre q passo por aqui está tocando Sleeping to Dream do Jason mraz, to precisando pegar essa.
bom começo de semana ^^
abraço

Lorena Portela disse...

muito bonito.

beijo.

E.Suruba disse...

é bonito sua fé
:)

E.Suruba disse...

é bonito sua fé
:)

Lolla...doida varrida! disse...

rapazzzz, ñ tem nada haver mais tenho q dizer...vc é todo um vizinho meu. cara de um fucinho do outro. impressionante!
kkkk
bjusss lindo

Valdeir Almeida disse...

Hugo,

Maria Bethânia é fantástica. Tudo o que ela dá voz, encanta.

Abraços e boa semana pra você, meu amigo.

P.S. Estou sumido, porque ainda estou visitando os blogs que participaram da coletiva. Ufa!!! São tantos posts.

Léo Metallica disse...

Muito ácido.

Porém... Aproxima a divindade da humanidade. O que não deixa de ser o correto. Jesus na minha opnião sempre foi humano.

Direto do Rio.
Abraço.

Sanzinha disse...

Lindo poema, Hugo.... Adorei!

Beijão e ótima semana

neide disse...

Você está de parabéns meu amigo, em se tratando de Bethânia não tem o que dizer, só... ela é maravilhosaaaa, até calado ela encanta.

Boa semana querido.

Bjsss

Fatima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fatima disse...

Muito lindo!
Tb adoro a interpretação da Maria Bethania neste vídeo.
Bjs.

Atreyu disse...

Legal viu! Poema interessante @@

José Ramón disse...

Interessante
Greetings from a criatividade ea imaginação das fotos Jose Ramon

Gilson disse...

Amigo Hugo

Fiquei aqui parado de frente a tela do computador, paralisado perante a beleza desse poema.

Nossa como é bom vir aqui no seu Blog, perceber a sutileza de seu coração.

Abs

Em Construção... disse...

Quer lindoooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!
Obrigada por deixar meu dia melhor!!
saudades daqui!!!
Bjuss

disse...

maria bethânia... e só dá ela, hein!
bjos e boa semana!

Bandys disse...

Hugo,
Lindo demais!

Boa semana de muita paz!

beijos

Alma inquieta disse...

Olá Hugo!

Muito obrigada por me dares a conhecer esse poema de Alberto Caeiro!
Não conhecia o poema, apesar de ler bastante sobre o autor.

Um beijo!

Flor ♥ disse...

Oi, querido.

Esse é um dos poemas de Pessoa que mais gosto... Quando o ouvi pela primeira vez foi no LP da Bethania (há tanto tempo... na era do LP). Só muito depois é que vim saber que era do Pessoa.

Um beijo!

G I L B E R T O disse...

Hugo

Mais do que um poema, uma oração!
Belissimo, grato por te-los nos mostrado!

Post Scriptun:

gosto muito do olhares.com, também uso muitas imagens de lá!

Angelo A. P. Nascimento disse...

Sempre achei lindo demais Betânia recitando em Maricotinha!
Bacana demais seu blog.
Estou te seguindo.
Abração

Daniel Savio disse...

Cara, o poema é bonito, mas smepre há algo de divino em nós, quando somos capazes de esquecer o mundano e pensarmo no próximo...

Fique com Deus, menino Hugo.
Um abraço.

Mateus disse...

Olá, o poema realmente é lindo, entretanto aqui nao esta na integra, é uma adaptação feita pela maria bethania, ja que na integra é um poema ANTI IGREJA CATOLICA e completamente ateu... PESSOA REALMENTE UM GENIO, o MELHOR DE TODOS